Qual a importância da Educação Financeira na vida do brasileiro?

Propalado crescimento econômico também é relativo se não há distribuição?

Exatamente. O crescimento, na produção capitalista, é o objetivo permanente. Mesmo do ponto de vista micro ou macro, o crescimento, se é capitalismo, se quer sempre. Isto porque é daí que sai a reprodução do sistema. Você como empresário tem que crescer, sob pena de perder o mercado, a clientela e a condição de empresário.

Todo e qualquer país, a partir do crescimento da sua atividade produtiva, deveria buscar as condições para fazer uma distribuição na sociedade, no atendimento dos serviços requeridos por essa sociedade. Mesmo porque desse crescimento, dessa atividade produtiva, cresceu o governo enquanto regulador dessa sociedade, retirou uma parcela dessa riqueza gerada na forma de tributo, de contribuições.

Ele tem que devolver isso para o conjunto da sociedade, através da prestação de bens e de serviços. Então, se esse crescimento financiasse o atendimento dessas demandas sociais estaríamos de pleno acordo, pois teríamos uma sociedade que cresce, mas se desenvolve.

Aquilo que dizem hoje os economistas, os executivos do governo, que nós precisaríamos crescer a uma taxa de seis a 10% para poder dar conta dessa situação, isso é verdade. Nós crescendo a 1%, praticamente não dá para nada.

O fato é que a história brasileira dos anos 50 a 70 nos mostrou que o país já cresceu muito, mas muito mesmo, comparando a períodos anteriores, mas não distribuiu, não devolveu os resultados desse crescimento à sociedade enquanto oferta de bens e serviços. Não houve a devolução. Sem esta devolução não há desenvolvimento.

Se não há desenvolvimento, o crescimento acaba ficando apenas com aquela parcela que efetivamente, de uma forma ou de outra, participou do processo desse crescimento. E, dentro desse processo de crescimento ainda, dos que participam, têm aqueles que trabalham e têm aqueles que acumulam riqueza. Esta riqueza, na sua maior parte, vai ficar com aqueles que acumulam.

Desigualdade no Brasil
Desigualdade no Brasil

Vamos pensar o seguinte: a economia cresceu a 10%. O empresário tem a sua taxa de lucro. O rentista tem o seu rendimento. O capitalista financeiro tem o seu juro e o trabalhador tem o seu salário. Mas se o salário do trabalhador for na média de mil reais, que já é um altíssimo salário, o lucro do capitalista é de dez mil reais. E 10% de mil reais é cem reais; e 10% de dez mil reais é mil reais.

Quem se apropriou mais? O capitalista, o proprietário do capital. Então, nesse sentido, crescer mantendo a mesma formatação de distribuição é manter a concentração. Por isso não interessa se o crescimento for de um, dois ou dez por cento, você está mantendo o status quo.